Castigos na infância

Pesquisa realizada pelo Instituto Zero a Seis ECGlobal

No dia 14 de dezembro de 2010 foi aprovado o Projeto de Lei 7672/2010, que estabelece o direito de crianças e adolescentes serem educados livres dos castigos corporais ou tratamentos humilhantes. Não é para menos. Todo o conhecimento científico atual mostra que a violência contra a criança pode gerar problemas emocionais, sociais, psicológicos e cognitivos capazes de influenciar em sua saúde ao longo da vida.

Para compreender os aspectos do uso de castigo em crianças no Brasil, o Instituto Zero a Seis, em parceria com a comunidade ecGlobal – líder em painéis de pesquisa online – e a empresa de consultoria e pesquisa eCMetrics, realizou pesquisa nacional como uma de suas ações durante o “Dia Mundial de Prevenção ao Abuso Infantil”.

As entrevistas foram realizadas com 600 pessoas distribuídas em todo o país, por meio de questionário pela internet, respeitando suas principais variáveis sócio-demográficas. O questionário abordou questões sobre o uso de recursos abusivos na educação das crianças, ou sobre os adultos (quando eram crianças).

Os resultados demonstram que a criança encontra-se vulnerável a aqueles que deveriam amá-la e protegê-la. O ambiente familiar, em muitos casos, é o que mais expõe a criança à violência. Ainda são necessárias muitas iniciativas para modificar a cultura que considera o castigo uma maneira educativa aceitável e um direito da família e do(a)s cuidadore(a)s.

Confira o relatório completo da pesquisa.

castigo